Conheça os principais tipos de estoque utilizados no varejo

tipos de estoque

A gestão de estoque é um dos principais pilares para garantir o sucesso das operações de varejo e aumentar a competitividade das empresas no mercado. Como os gestores devem buscar um papel cada vez mais estratégico neste setor, conhecer os tipos de estoque é fundamental para definir o modelo mais adequado às necessidades e demandas da empresa.

O tipo de estoque escolhido deve estar alinhado à administração e aos demais processos da empresa, já que envolve planejamento logístico, sazonalidade, entrega de produtos e diversos outros fatores. Quando a organização passa a contar com o tipo de estoque mais adequado às suas operações, é possível minimizar erros, evitar perdas e promover o acompanhamento adequado das demandas do mercado.

Geralmente, existe um tipo de estoque mais adequado a empresas de determinados portes e segmentos de atuação. Contudo, nada impede de contar com mais de um tipo de estoque, dependendo das necessidades e formas de atuação do negócio. Confira os tipos mais comuns e descubra o que mais se adequa às necessidades da sua empresa!

Estoque de ciclo

O estoque de ciclo é bastante utilizado por empresas que possuem uma intensa rotatividade de produtos ou que não conseguem fabricar todos ao mesmo tempo. O termo “ciclo” representa os ciclos de vendas pelos quais os produtos passam: o início, o pico e a queda nas vendas. 

Por isso, o estoque de ciclo funciona a partir de demandas diferentes e constantes, mas sempre deve manter os produtos à disposição do consumidor. Para isso, é preciso definir limites mínimos e máximos para cada um deles, a fim de evitar a falta ou o excesso de mercadorias e insumos no estoque.

Estoque de antecipação

Também chamado de estoque sazonal, é utilizado para garantir o abastecimento em períodos de alta demanda. Nesse caso, a aquisição de itens para a fabricação de mercadorias finais passa a ser mais elevada com o objetivo de garantir o pronto atendimento dos pedidos solicitados pelos clientes.

Dessa forma, é possível otimizar a produção e atender a todos os pedidos de maneira mais organizada e sem atrasos na entrega. Esse tipo de estoque é comum em empresas que têm picos de vendas em datas comemorativas, como Natal, Dia das Mães, Dia das Crianças, etc.

Estoque de proteção

O estoque de proteção recebe esse nome porque a empresa trabalha com uma “margem de proteção” nos insumos e produtos estocados. Mesmo com os cálculos alinhados, a organização prefere contar com quantidades a mais para evitar possíveis problemas que possam ser causados pela falta de itens.

Esse é um dos tipos de estoque que podem ser úteis para diversas empresas, já que ajudam a evitar problemas com a alta de preço, greve de fornecedores ou elevações súbitas na demanda.

Dropshipping

Trata-se de um modelo de varejo que foge aos padrões tradicionais dos tipos de estoque. Aqui, o consumidor faz seu pedido em uma loja virtual que, por sua vez, encaminha o pedido para o fornecedor ou distribuidor. O produto é enviado em nome da loja na qual foi feita a compra.

Isso significa que o estoque não é da responsabilidade da empresa que vende o produto. Por isso, é importante contar com fornecedores e transportadoras confiáveis para garantir que as entregas sejam feitas sempre dentro do prazo acordado com o cliente.

Estoque regulador

Parecido com o estoque de proteção, o estoque regulador é armazenado em uma das filiais da rede para suprir possíveis demandas em caso de falta de itens em outras unidades. Também está muito ligado a questões sazonais, sendo um dos tipos de estoque mais adequados para evitar o desabastecimento em caso de aumento nas demandas.

Estoque máximo

Esse é um dos tipos de estoque que merece cuidado redobrado para evitar perdas e prejuízos financeiros. O conceito do estoque máximo é trabalhar com a quantidade máxima de produtos disponíveis no estoque durante um determinado período, ou seja, com o  limite mais alto para aquisição de mercadorias.

Se os itens foram duráveis, o estoque máximo pode ser uma boa opção para as empresas conseguirem negociar preços melhores na compra de uma grande quantidade de itens, além de evitar a falta de matéria-prima por longos períodos.

Estoque de canal

Considerado um estoque intermediário, o estoque se refere aos produtos que se encontram no percurso entre fornecedor e fabricante. Pode parecer que não, mas os itens que ainda estão nos veículos de transporte de cargas também devem ser considerados nas operações de gestão de estoque. 

É muito importante que as empresas tenham controle sobre o estoque em trânsito, sobretudo no que diz respeito às operações de monitoramento de carga para garantir que os itens cheguem na empresa conforme o previsto.

 

Quer continuar acompanhando conteúdos sobre o universo da logística? Siga-nos no Facebook e Instagram para ficar por dentro de nossas dicas, novidades e atualizações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *