Frete CIF e FOB: conheça as principais diferenças

frete CIF e FOB

Contar com uma frota própria de veículos para fazer a entrega de mercadorias nem sempre é a opção que oferece o melhor custo-benefício para a organização. Para muitas empresas, a contratação de frete terceirizado permite maior foco no core business e menos preocupações com atividades secundárias, mas é preciso conhecer quem arca com os custos e responsabilidades dos serviços. Nesse cenário, é importante entender melhor o frete CIF e FOB.

Além de analisar a qualidade do serviço, preços e prazos praticados, reputação da transportadora, formas de pagamento e outros fatores importantes, é essencial considerar quem é o responsável pela entrega da carga. Dependendo das características do produto e do acordo previsto entre as partes, a empresa pode optar entre o frete CIF e FOB. 

Mas afinal, qual a diferença entre eles? Qual é o mais vantajoso para minha empresa? Continue a leitura e saiba mais!

O que é frete CIF?

CIF é uma sigla em inglês que significa Cost, Insuranse and Freight. Em tradução para o português, quer dizer “custo, seguro e frete”. Nesta modalidade, o frete é pago na origem e o vendedor é responsável pelos riscos e custos de transporte até a entrega da mercadoria ao destinatário.

O valor final do frete inclui o custo de seguro do transporte e demais custos envolvidos no processo de fretagem. O frete CIF é muito utilizado em operações B2C, ou seja, de empresas para o consumidor final, apresentando um alto número de remessas para diferentes clientes.

Para empresas que realizam vendas por meio de e-commerces, por exemplo, esse tipo de frete é bastante vantajoso, uma vez que o cliente final paga pela mercadoria e frete somente uma vez.

O que é frete FOB?

Também originário da língua inglesa, FOB é uma abreviação para Free On Board, ou em tradução literal, “livre a bordo”. Neste caso, a responsabilidade do embarcador termina no despacho das mercadorias. Ou seja, para empresas que desejam realmente terceirizar a responsabilidade do frete, essa modalidade se mostra como uma boa opção.

Isso significa que é o comprador que assume todos os custos e riscos do transporte a partir do embarque, uma vez que a responsabilidade do vendedor acaba neste momento. O frete FOB é mais utilizado em operações B2B, principalmente quando existem cargas de alto valor envolvidas ou o custo de frete é muito alto.

No caso de indústrias que compram produtos de diversos fornecedores, o frete FOB é muito vantajoso, pois as transportadoras coletam os pedidos diretamente nos fornecedores, garantindo mais agilidade e eficiência na entrega das mercadorias.

Frete CIF e FOB: quem deve fazer o pagamento?

As diferenças entre frete CIF e FOB também dizem respeito sobre a responsabilidade do pagamento dos valores envolvidos no frete. Em negociações que utilizam o frete CIF, a responsabilidade é da empresa que fornece os produtos.

Por outro lado, o pagamento do frete FOB é de responsabilidade do cliente, ou seja, ele deve arcar com os custos do frete e das mercadorias a serem transportadas. Nesses casos, é comum que o pagamento seja feito mediante o recebimento da mercadoria. O “Frete a Pagar” dos Correios é um exemplo clássico dessa modalidade.

Os custos de cada frete também diferente entre o frete CIF e FOB. No primeiro caso, o custo do frete já está embutido na mercadoria, ou seja, o valor repassado é único. Na nota fiscal, o fornecedor pode informar que o frete utilizado é o CIF, evitando que o cliente tenha que pagar custos adicionais.

Já o valor do frete FOB não está embutido no preço dos produtos e deve ter seu valor especificado na nota fiscal.  O valor indicado no documento deve compor a base de cálculo dos tributos, como ICMS, IPI, PIS e COFINS.

Quais as vantagens de cada modalidade?

Agora que você conhece as diferenças entre frete CIF e FOB, é preciso entender que ambos têm pontos positivos e negativos, mas não significa que um sempre será melhor que o outro. Existem apenas situações em que um tipo pode ser mais vantajoso que outro. 

De maneira geral, o CIF é vantajoso para quem compra porque oferece mais praticidade e conforto. Por outro lado, o preço final costuma ser mais alto, mas pode ser compensado pelo custo-benefício da compra

O frete FOB pode ser mais vantajoso para quem vende, por envolver um nível menor de responsabilidade. No entanto, também há um valor agregado menor no que é apresentado, o que até se reflete no preço. Em certos casos, oferecer o frete CIF pode ser uma forma de conquistar mais satisfação.

Esse tipo de frete também é mais vantajoso quando o comprador já tem a própria estrutura logística para o transporte. Em outros casos, o CIF tende a ser mais vantajoso pela praticidade. Para a empresa que oferece ambas as possibilidades, a percepção é mais positiva, justamente por trazer versatilidade.

 

Quer acompanhar mais dicas e conteúdos sobre logística, transporte, gestão e muito mais? Siga-nos no Facebook e Instagram!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *